Sua equipe trabalha muito ou produz muito?

[ad#texto]

Por estes dias li algumas matérias e é quase uma questão unanime entre os gerentes de empresas pequenas a grandes, como medir o desempenho do seu pessoal?

Principalmente em equipes que trabalham com metodologias ágeis fica difícil para o gerente medir se a sua equipe está produzindo muito e com qualidade ou se está somente trabalhando muito, some a isso um legado psicológico que o próprio colaborador possui: “se eu fizer horas extras e sair tarde do trabalho vou mostrar para todos, inclusive meu chefe, que estou trabalhando muito”.

Realmente é um desafio, principalmente por diversos tipos e programas para desenvolvimento focarem exclusivamente no desempenho individual, pergunta-se e avalia-se somente o individuo sobre o que ele faz e o que o descritivo da sua função diz, não é medido o que esse profissional faz pelo todo, como ele ajuda sua equipe e o que o trabalho que ele desenvolve (trabalhando muito ou pouco) trás de retorno para a empresa.

É preciso que o empresariado e a gerência de modo geral quebrem esse paradigma de que trabalhar várias horas por dia, inclusive fazer horas extras, significa profissional aplicado e dedicado, é preciso focar no que ele produz, não em quantidade, mas em qualidade, afinal um software com qualidade significa cliente feliz e cliente feliz trás lucro para a sua empresa, é uma lógica tão simples quanto singular.

É preciso valorizar mais a criatividade, se o seu profissional produz com qualidade e inovação de forma rápida (em poucas horas) não tem entulhar ele de mais e mais trabalho, afinal isso irá saturar esse profissional e como consequência ele deixará de ser criativo e irá trabalhar de forma massificada, caindo no velho paradigma de trabalhar muito, deixe este profissional no tempo “que lhe sobra” pesquisar, acessar a Internet, o deixe divagar em seus próprios pensamentos, afinal ele trará novas ideias e será cada vez mais criativo, trazendo mais produtividade para a equipe.

Quer um case de sucesso sobre o tema? O Google. Sim, o tema mais batido de todos é o melhor exemplo, o Google, de forma geral seus funcionários são mimados, tratados a pão-de-ló como diria minha avó, e como retorno o Google obtém produtos e serviços inovadores e de alta qualidade, quem utiliza GPS sabe a diferença entre um GPS comum e um GPS fornecido pelo Google Maps, tirando que todos os colaboradores são incentivados há reservar um tempo diário para trabalhar em projetos pessoais. Quer sabe qual o retorno? O Orkut é um exemplo, no seu auge, o Orkut modificou o mundo com a sua forma de conectar as pessoas.

Adotar uma métrica como a citada acima não significa deixar seu profissional ocioso e predisposto a vadiagem, significa deixa-lo fazer o que ele sabe fazer de melhor, significa ser diferente da concorrência e por este motivo estar na ponta do iceberg.

Tags:
Petter Rafael
Petter Rafael

Desenvolvedor Web atua com as tecnologias Java e PHP apoiadas pelos bancos de dados Oracle e MySQL. Além dos ambientes de desenvolvimento acima possuiu amplo conhecimento em servidores Apache/Tomcat, Photoshop, Arte & Foto, Flash e mais uma dezena de ferramentas e tecnologias emergentes. Atualmente colabora com o Viablog escrevendo sobre programação e tecnologia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 324 outros assinantes

Busca

julho 2020
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Categorias