Windows Defender vai prever novos vírus

Embora pouco seguro o novo Windows Defender vai prever novos vírus utilizando inteligência artificial e cloud computing. Mas será que vai funcionar?

[ad#texto]

Windows Defender vai prever novos vírus
Windows Defender vai prever novos vírus

Windows Defender vai prever novos vírus utilizando inteligência artificial e cloud computing em uma iniciativa da Microsoft de melhorar a segurança no ecossistema Windows.

Mas será que velhos problemas foram corrigidos?

Várias coisas cercam o Windows Defender e comprovam que ele não é um bom sistema de defesa para a sua própria plataforma.

Windows Defender vai prever novos vírus: a confiança

Atualmente a engine de detecção do Windows Defender é muito fraca, tanto que em todos as métricas de testes ele sempre fica em último, seja por detecção ou por falso positivo.

Em contrapartida ao ativar o Windows Defender o ato de acessar um arquivo no Windows torna-se muito mais lento, devido ao esforço acima da média que o Windows Defender impõe ao sistema na sua verificação.

Deste modo temos um antivírus que consome muito do computador ao mesmo tempo que entrega um baixo índice de detecção de ameaças.

Isso não me parece nem um pouco animador.

Esta situação nunca é citada pela Microsoft e desta vez também não será melhorada.

[ad#texto]

Windows Defender vai prever novos vírus: as novidades

Ao entrar nas configurações é possível notar que o Windows Defender compartilha dados com a nuvem e este será o cerne da nova versão, conforme aponta a Microsoft.

Em resumo, a Microsoft irá utilizar cloud computing para distribuir entre os usuários assinaturas de detecção de novas ameaças, assim, pelo menos em teoria, o tempo de resposta do Windows Defender frente a novas ameaças seria reduzido.

Também eliminaria a necessidade de patchs de correção.

Outro ponto será a tratativa de isolar a ameaça em uma sandbox para evitar a infecção.

Windows Defender vai prever novos vírus: onde mora o perigo

O discurso da Microsoft é muito bonito e parece bem promissor, porém existem restrições.

Toda a mecânica da disseminação de assinaturas de identificação se baseia na rápida detecção heurística do Windows Defender e conforme foi dito acima a capacidade de detecção dele é péssima.

Afinal se a ameaça não é detectada como será propagada?

Esta questão ainda não foi discutida pela Microsoft.

Petter Rafael
Petter Rafael

Desenvolvedor Web atua com as tecnologias Java e PHP apoiadas pelos bancos de dados Oracle e MySQL. Além dos ambientes de desenvolvimento acima possuiu amplo conhecimento em servidores Apache/Tomcat, Photoshop, Arte & Foto, Flash e mais uma dezena de ferramentas e tecnologias emergentes. Atualmente colabora com o Viablog escrevendo sobre programação e tecnologia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 321 outros assinantes

Busca

outubro 2020
DSTQQSS
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Categorias