Kodak vende divisão e se aproxima da falência

[ad#texto]

O mercado não é fácil, seja qual for o segmento, se a empresa não acompanhar o avanço tecnológico fatalmente entrará em colapso em algum momento e o colapso pode ser tão brutal que poderá levar a empresa em questão a falência.

É o que está ocorrendo com a Kodak.

Quem viveu na década de 80 e 90 sabe bem o que a marca Kodak representava no mercado de fotografia, no mercado fotográfico (câmeras, acessórios e suprimentos) a Kodak tinha a mesma relevância que a Microsoft tem para o mercado de hardware, era o carro chefe. A Kodak, assim como a Microsoft, conseguiu popularizar a fotografia e dessa forma revolucionar o mercado.

Mas no final da década de 90 veio à avalanche das câmeras digitais e a Kodak relutou em acompanhar esta evolução da tecnologia, relutou tanto que internamente em seus próprios laboratórios de pesquisa seus engenheiros já tinham um protótipo de uma câmera digital destinada ao consumidor final (igual estas que compramos hoje) muito antes de seus concorrentes, porém por decisões de sua diretoria o protótipo não foi levado à linha de produção, pois eles acreditavam na tradição da fotografia em rolos de filme e impressão para armazenagem.

A concorrência aproveitou a relutância da Kodak e foi lançando seus modelos, empresas como Panasonic, Sony e HP que tinham pouquíssima experiência neste mercado entraram de sola e no final da década de 90 e início dos anos 2000 venderam muito, começando assim a cavar a sepultura da lendária marca Kodak.

Quando a Kodak finalmente “acordou” para a evolução tecnológica que o mercado vivia finalmente começou seus lançamentos de câmeras digitais, mas já era tarde, empresas novatas em fotografia já tinham se firmado como tradicionais em fotografia digital e a Kodak de líder do segmento passou a mera coadjuvante.

O tempo passou e a situação financeira da Kodak foi se agravando, afinal o mercado de fotografia de filme de rolo e papel no qual a Kodak era a líder encolhia rapidamente ano após ano e no mercado de fotografia digital a luta contra os concorrentes já estabelecidos estava fatalmente perdida. Aí foi outro ponto de lentidão em inovar da Kodak, ao invés de tentar se reinventar antes do agravamento da crise financeira, a estratégia de tentar recuperar o prestigio perdido foi mantida, a cova da Kodak estava cavada.

Em janeiro de 2012 a Kodak pediu concordata e neste ínterim também anunciou que deixaria de fabricar câmeras digitais e se focaria em sua excelência, fotografia de filme de rolo e papel, insumos e alguns periféricos como impressoras.

Não deu certo.

Agora a Kodak anuncia o mais duro golpe que sofreu, a Kodak deixa definitivamente o mercado de fotografia de rolo e papel, irá vendar esta operação, inclusive as dezenas de quiosques de serviços fotográficos que tem espalhados por diversos pontos em diversas cidades. A direção da Kodak somente fez isso, pois era a única forma de honrar o pagamento de seus credores.

Realmente acredito que é pouco provável que a Kodak se reestabeleça, faltamente a Kodak irá à falência, é apenas uma questão de tempo, e pensar que a Kodak que começou seu caminho de sucesso por inovar acabará seus dias por ter perdido o bonde da inovação tecnológica.

Petter Rafael
Petter Rafael

Desenvolvedor Web atua com as tecnologias Java e PHP apoiadas pelos bancos de dados Oracle e MySQL. Além dos ambientes de desenvolvimento acima possuiu amplo conhecimento em servidores Apache/Tomcat, Photoshop, Arte & Foto, Flash e mais uma dezena de ferramentas e tecnologias emergentes. Atualmente colabora com o Viablog escrevendo sobre programação e tecnologia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 321 outros assinantes

Busca

outubro 2020
DSTQQSS
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Categorias