A era da mobilidade

[ad#texto]
O CEO da Nokia em uma entrevista, após o anúncio de um resultado pouco expressivo, disse uma frase que considero o puro conceito do mercado mobile atual:

“O jogo mudou de uma batalha de dispositivos para uma guerra de ecossistemas”.

Isso quer dizer que, com a entrada de outras empresas exclusivas de software, como o Google com seu Android, e da revolução da Apple ao lançar o iPhone que provou a todo mundo que a importância do software é superior a importância do hardware para o cliente final o embate entre dispositivos móveis que antes se concentrava basicamente em recursos de hardware, como por exemplo expansão para cartões de memória, conectores e até mesmo caixas de som externas terminou.

Agora a guerra irá se concentrar nos recursos de software e interface.

Um exemplo clássico é o do lançamento do iPhone, o hardware dele era muito mais limitado e inferior em termos de recursos que o hardware de um N95 da Nokia, apenas um gadget de exemplo, porém após o seu lançamento a Apple viu os louros da vitória, o iPhone era um sucesso absoluto no seu segmento. Tudo isso porque a atenção especial era no software, uma interface nova e bem desenhada, que privilegiava o caso de uso do usuário, mostra uma beleza em grafismo nunca antes vislumbrada em um gadget. O iPhone transformou-se em um ícone de referencia.

Foi aí que o Google entrou na jogada, afinal se o sucesso era o software, eles tinham potencial para desenvolver um software de qualidade igual ou superior ao da Apple com o diferencial de ser aberto ao uso comum, pois o iOS era de uso fechado, exclusivo da Apple.

Assim nascia o Android, um sistema para dispositivos móveis baseados em Linux. Várias empresas fabricantes de celulares e smartphones imediatamente projetaram gadget utilizando o Android, um exemplo disso foi a linha Xperia da Sony.

Começava assim a batalha pelo ecossistema mobile.

Atualizações no iOS, atualizações do Android e ainda customizações do Android por fabricantes deram uma nova dinâmica no mercado.

A Nokia e seu Symbiam, velho de guerra, funcionam, mas muito feio para o usuário, viam seu posto de líderes no segmento ameaçado.

Hoje a Nokia desenvolve gadgets com o Symbiam e com o MeeGo, um sistema híbrido de esforços da própria Nokia e da Intel, baseado em Linux que tem a finalidade de trazer relevância novamente. Pois hoje os descolados preferem e usam o iPhone e os mais Geeks correm atrás do Android, sua abertura e sua capacidade de atualização constante.

A crer pela deterioração dos bons resultados que a Nokia vinha apresentando e por diversos sinais de que a Nokia vai perder a guerra das plataformas e que já indicaria um prenuncio de mudança, a adoção do Android em vez do MeeGo talvez, indica que tempos nebulosos e de muitas mudanças virão para a Nokia, se ela vai resistir ou não só o tempo dirá, mas agora tudo depende da sua capacidade criativa, afinal potencial para desenvolver um novo conceito em software para gadgets eles possuem.

Petter Rafael
Petter Rafael

Desenvolvedor Web atua com as tecnologias Java e PHP apoiadas pelos bancos de dados Oracle e MySQL. Além dos ambientes de desenvolvimento acima possuiu amplo conhecimento em servidores Apache/Tomcat, Photoshop, Arte & Foto, Flash e mais uma dezena de ferramentas e tecnologias emergentes. Atualmente colabora com o Viablog escrevendo sobre programação e tecnologia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 323 outros assinantes

Busca

agosto 2020
DSTQQSS
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031 

Categorias