Neutralidade da rede: o fim do WhatsApp sem descontar da franquia de uso

A neutralidade da rede mostrou um lado que vai desagradar a todos, levando ao pé da letra vai proibir o uso de redes sociais sem franquia.

Neutralidade da rede: o fim do WhatsApp sem descontar da franquia de uso
Neutralidade da rede: o fim do WhatsApp sem descontar da franquia de uso

O conceito de neutralidade da rede é via de regra necessário para coibir cobranças abusivas por parte das operadoras.

O problema é que tudo tem dois lados e agora este conceito vai proibir que operadoras ofereçam redes sociais sem descontar da franquia.

Isso ocorre porque levando a neutralidade da rede as operadoras não poderiam determinar o tipo de tráfego nem para oferecer benefícios ao cliente.

E agora?

Neutralidade da rede: como fica toda essa história?

Para quem está offline do mundo nos últimos anos, operadoras sempre tentaram impor cobranças adicionais para usuários que utilizam sua conexão para assistir streaming, áudio ou call.

Isso porque esse tipo de consumo exerce maior necessidade de banda.

Assim, as operadoras sempre tentaram criar planos com permissões específicas de uso, ou seja, se a sua assinatura não permitisse assistir vídeos, ao tentar acessar algum canal de streaming o usuário seria bloqueado.

Desta forma o cliente precisaria expandir seu plano, pagando um adicional, isso teria um efeito acumulativo e o valor mensal subiria exponencialmente para o usuário.

Por isso essa prática é coibida em todo o mundo, isso se chama neutralidade da rede, ou seja, as operadoras não podem segmentar o acesso pelo seu tipo de tráfego.

O problema que agora mesmo no caso de benefícios ao usuário a neutralidade da rede vai coibir a segmentação.

Neutralidade de rede contra o usuário

Várias empresas financiam as operadoras para que o usuário possa utilizar o seu aplicativo sem descontar o uso da sua franquia.

Isso ocorre com alguns bancos, lojas on-line, WhatsApp e diversas outras redes sociais.

Em alguns casos as próprias operadoras oferecem esse benefício como um plus para seus planos para fortalecer o vinculo com seus clientes.

Com isso levantou-se a questão que a neutralidade da rede também deveria proibir esses casos, sem distinção.

Europa aplicando ao máximo

A BEREC, órgão da União Europeia que determina as regras a serem seguidas por reguladores de telecom dos países-membros do bloco realizou uma votação para aplicar ao máximo o caso da neutralidade da rede.

Na votação as teles fixas ou móveis ficam proibidas de favorecer determinados serviços e aplicativos, inclusive sites e plataformas da própria operadora.

Se por um lado esse conceito protege o usuário de cobranças abusivas por outro lado também vai atrapalhar a vida dos usuários.

O mais engraçado é que tanto operadoras quando clientes vão sair perdendo neste caso.

Impacto baixo na Europa

Contudo o impacto desta medida na Europa será limitada, pois com a chegada do 5G os planos para esta tecnologia são vendidos ilimitados.

Assim torna-se irrelevante essa questão de aplicativos sem desconto de franquia quando a sua franquia é ilimitada.

Porém os clientes que permanecem no 4G vão sentir o impacto desta medida.

matrix
matrix

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 315 outros assinantes

Busca

setembro 2022
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Categorias