Google não vai mais identificar autores na busca

John Mueller divulga que o Google não vai mais identificar autores na busca, ou seja, não teremos mais os thumbs dos autores na pesquisa do Google, veja o que fazer?

A luta do Google para induzir a todos para utilizar o Google+ é ampla, basicamente o Google articular em todas as frentes – e por incrível que pareça tem fracassado em todas, afinal o uso do Google+ não deslancha – e agora o Google não vai mais identificar autores na busca, na verdade este anuncio é uma desconstrução de estratégia adotada há um bom tempo que tinha por finalidade mascarada influenciar a troca de informações e consequente uso do Google+, calma que eu explico.

Google não vai mais identificar autores na busca

Google não vai mais identificar autores na busca

Vamos partir do começo, há um bom tempo atrás o Google adicionou o recurso de exibir nos resultados das buscas os autores dos artigos listados, a intenção do Google (de acordo com o que ele anunciou) seria incrementar os cliques nos artigos e os cliques nos anúncios, coisa que não aconteceu, porém especula-se que o real motivo da exibição do autor do artigo, que era linkado diretamente com o Google+, seria induzir o usuário ao compartilhamento do referido artigo no Google+, estimulando assim o seu uso, coisa que também não aconteceu.

Quem divulgou que o Google não vai mais identificar autores na busca foi o John Mueller, funcionário do Google que participou da criação e implementação deste recurso.

Muitos devem estar se perguntando que alterações deverão realizar no SEO de suas páginas para suprir esta remoção, o fato é que não existia resultado prático deste recurso para o SEO, apesar de muitos autores da área jurarem que isso melhoraria significativamente a taxa de conversão muito pouco – ou quase nada foi provado – o que significa que nenhuma mudança drástica na estratégia de SEO deverá ser realizada, sempre lembrando que o foco do SEO hoje tem que ser sobre o conteúdo, nada de blackhat, OK?

Leia mais:

Fotos nuas de celebridades invadem a internet

Domingo foi dia marcante na internet pois várias fotos nuas de celebridades foram liberadas em diversos fóruns, veja todos os detalhes aqui.

Neste último domingo a internet foi inundada por fotos nuas de celebridades – atrizes como Jennifer Lawrence, Mary Elizabeth Winstead entre outras, e via de regra a assessoria de imprensa de todas elas alegaram que tais fotos foram produto de roubo e que qualquer usuário que publicasse tais fotos estaria cometendo crime e responderia por tal ato na justiça.

Fotos nuas de celebridades invadem a internet

Fotos nuas de celebridades invadem a internet

Geralmente tal tipo de golpe acontece quando uma pessoa envia seu smartphone para uma assistência técnica e algum funcionário desta assistência age de forma pouco correta e copia fotos íntimas e depois as disponibiliza na internet, porém para este caso não foi isso o ocorrido, pois diversas celebridades foram atacadas.

Todas as suspeitas recaem sobre o iCloud da Apple. Veja os fatos.

Dias antes deste fato um script em Python foi publicado no GitHub e permitia explorar uma falha de segurança no iCloud: o script utilizava força bruta para ir testando diversos tipos de senhas até que uma funcionasse e garantisse acesso ao invasor, esta técnica é rudimentar pois para senhas complexas pode demorar anos até que a combinação fosse descoberta, porém parece que as celebridades que foram vítimas se esqueceram disso e possuíam senhas fracas o que ajudou muito o trabalho do invasor.

Um pesquisador de segurança afirmou que testou o tal script e de fato ele se foi funcional (porém isso não comprova que este foi o método utilizado), porém hoje vários pesquisadores de segurança alegam que em vários lugres do mundo o script não é mais funcional pois aparentemente a Apple adicionou um bloqueio depois da quinta tentativa, mas isso ainda não foi aplicado para todos os países e com isso a Itália e outros países ainda sofrem com a falha de segurança.

Caso seja confirmado que neste caso das fotos nuas de celebridades o responsável seja realmente a falha de segurança do iCloud quero ver a explicação que a Apple dará para o caso.

Leia mais:

Veja o desempenho dos seus tweets

Agora o Twitter permite que você veja o desempenho dos seus tweets com uma ferramenta chamada Twitter Analytics, veja aqui como fazer o seu cadastro.

Muitos usuários já sentiram falta de visualizarem estatísticas dos seus tweets, agora este recurso já está disponível no Twitter, veja o desempenho dos seus tweets:

veja-o-desempenho-dos-seus-tweets

A imagem acima mostra como é o dashboard do Twitter Analytics, que por sinal é muito semelhante com o Google Analytics, com ele é possível analisar todo o desempenho dos seus tweets e o seu alcance, bom para quem utiliza o Twitter como ferramenta de trabalho.

Inicialmente este recurso foi apenas liberado para anunciantes e alguns pouco usuários verificados, mas agora o Twitter liberou para todos, basta acessar o Twitter Analytics.

Para que a sua conta esteja habilitada ela precisa possuir mais de 14 dias e não estar suspensa, de resto basta ingressar e começar os tweets que eles serão automaticamente rastreados e analisados pela ferramenta.

Mas atenção, somente após a inscrição no programa é que seus tweets passarão a constar na ferramenta.

Assim como o Facebook e o próprio Google+, o Twitter vem aprimorando seus sistema para que o mesmo seja o mais fiável possível para empresas e profissionais liberais o assumam como ferramenta de marketing digital, afinal, o Twitter pode maximizar muito a sua renda utilizando uma estratégia similar as estratégias do Google e Facebook.

Por isso agora o Twitter permite que você veja o desempenho dos seus tweets de maneira simples e direta, resta saber se a maioria dos usuários “comuns” saberão utilizar a ferramenta.

Leia mais:

Google Chrome 64-bits liberado

Hoje o Google Chrome 64-bits liberado, em versão final – nada de versão beta de testes – agora sim vamos melhorar o nível da navegação.

A computação 64-bits já é uma realidade há anos, os aplicativos já foram portados para a nova plataforma de maneira satisfatória, porém no segmento de browsers o negócio segue complicado, pois basicamente só dispomos de browers de 32-bits (claro que não estou levando em consideração as versões betas de browsers 64-bits que se arrastam por anos), mas parece que isto está prestes a mudar, pois o Google liberou o Google Chrome 64-bits.

Google Chrome 64-bits liberado

Google Chrome 64-bits liberado

Tecnicamente o problema não é o desenvolvimento de um browser 64-bits, pois isso é tarefa relativamente fácil, o grande empecilho são alguns plug-ins, notadamente o Adobe Flash, que tiveram suas respectivas versões de 64-bits abandonadas pelos seus respectivos desenvolvedores, assim um browser de 64-bits não seria plenamente compatível e com isso a sua adoção seria pequena.

Em resumo, os usuários ficavam atados a browsers de 32-bits.

Porém este cenário começa a mudar, tanto que o Google Chrome de 64-bits já está com o download liberado (já na nova versão 37 do Chrome) e vem funcionando muito bem obrigado.

Notem que o Google Chrome 64-bits é uma versão estável (nada de versão beta) e está liberado em diversas linguagens, agora só falta realizar o download e proceder com a instalação.

Para quem já tem o Google Chrome de 32-bits instalado é preciso fecha-lo antes do início da instalação, para isso é preciso clicar com o botão direito do mouse no ícone do Chrome no Systray do Windows e clicar em Sair. Somente fechar a janela do Chrome que estiver aberta não vai adiantar pois o recurso do Google Now continuará em execução bloqueando a instalação do novo Google Chrome.

Leia mais:

Atualização para o Google Chrome

Uma atualização para o Google Chrome foi liberada hoje. Veja aqui todos os detalhes da versão 37 do Google Chrome e como atualizar primeiro.

O Google liberou no dia de hoje uma atualização para o Google Chrome, que chegou na sua versão 37, dessa forma o Google mantém a sua intensa rotina de melhoria contínua e correção de bugs praticamente frenética para o Google Chrome.

As principais novidades da atualização 37 do Google Chrome foram a correção de 50 bugs relatados e somente nesta leva o Google pagou aproximadamente US$ 42 mil aos usuários que identificaram e notificaram bugs no Chrome, mas existem mais novidades nesta versão.

Uma novidade que estranhamente não foi nem divulgada pelo próprio Google foi a mudança da tela do Gerenciador de Senhas, que agora está mais Flat que a versão anterior e consequentemente mais intuitivo.

Mas com certeza a principal alteração será percebida somente pelos usuários do Windows, pois finalmente o Google aposentou a API GDI utilizada para renderização no Chrome e agora passa a utilizar a API DirectWrite que embora disponível desde o Windows Vista ainda é pouco utilizada, pois esta migração depende exclusivamente dos desenvolvedores dos aplicativos.

Com o uso da API DirectWrite a renderização e principalmente exibição de fontes, que ganha em nitidez e principalmente em anti-aliasing, veja a comparação abaixo:

Atualização para o Google Chrome

Atualização para o Google Chrome

 

A atualização vai sem ativada de forma gradual entre todos os usuários do Google Chrome, porém quem quiser antecipar o seu ciclo de atualização basta ir em “Sobre o Google Chrome” e clicar no botão de atualização, após o término da instalação basta reiniciar o Chrome.

De fato esta atualização para o Google Chrome veio para dar uma melhora no aspecto do Chrome, agora aguardamos uma melhorada no visual que já passou na hora de ser melhorado.

Leia mais:

10 aplicativos que mais consomem energia no seu smartphone

Veja a lista dos 10 aplicativos que mais consomem energia no seu smartphone, elimine os piores do seu smartphone e aumente a duração da sua bateria.

Já falamos diversas vezes sobre o constante problema de duração da bateria que ocorre em todos os smartphones atuais, uns são mais afetados e outros menos, mas todos sofrem deste mal, pensando nisso já demos diversas dicas de como economizar bateria otimizando processos e eliminando processos desnecessários, porém vamos listar aqui os 10 aplicativos que mais consomem energia no seu smartphone e podem acreditar, você os utiliza e nem percebeu até agora o quanto de energia eles estavam consumindo.

10 aplicativos que mais consomem energia no seu smartphone

10 aplicativos que mais consomem energia no seu smartphone

  1. Puzzle & Dragons
  2. Facebook
  3. theChive
  4. iFunny J
  5. Hay Day
  6. 9GAG
  7. Instagram
  8. Spotify
  9. FarmVille 2: Country Escape
  10. 8 Ball Pool

Esta é a lista dos 10 aplicativos que mais consomem energia no seu smartphone e como podem ver alguns são jogos e por isso é mais fácil controlar o seu uso ou mesmo bani-lo do seu smartphone, porém existem certos aplicativos que é muito difícil ficar sem, ainda mais levando em conta que não existe aplicativo substituto, um deles é o aplicativo do Facebook.

O aplicativo do Facebook é muito mal desenvolvido, tanto é que os usuários reclamam muito de bugs e agora também vão poder reclamar do consumo excessivo de energia por um aplicativo relativamente simples e existem apenas duas opções: ou o usuário remove e fica de fora do Facebook ou remove e passa a utilizar a versão mobile do site do Facebook.

O problema é que a versão mobile do site do Facebook é muito ruim e foi estrategicamente “esquecida” e muitos novos recursos aplicados na versão do site para desktop e no aplicativo simplesmente não foram replicadas na versão mobile do site.

Outro detalhe importante da lista dos 10 aplicativos que mais consomem energia no seu smartphone é que ela é aplicada tanto para Android como para iOS, ou seja, o problema é realmente no aplicativo e não na plataforma utilizada no seu smartphone.

Leia mais:

Rastreamento do smartphone com o Google Maps

Veja aqui como o rastreamento do smartphone com o Google Maps pode ser utilizado até mesmo para caso de extravio ou outros problemas que enfrentamos no dia-a-dia.

O Google a aproximadamente dois anos atrás começou a integrar em seus serviços Web vários recursos para rastreamento e localização de smartphones e tablets equipados com o Android.

Rastreamento do smartphone com o Google Maps

Rastreamento do smartphone com o Google Maps

Um recurso praticamente não divulgado pelo Google permite o rastreamento do smatpthone com o Google Maps e o mais interessante é que gera um histórico de todas as rotas por onde você passou.

Para utilizar este recurso é muito simples, basta acessar  maps.google.com/locationhistory/b/0 que irá aparecer o mapa da sua rota para o dia atual.

Se observar no lado esquerdo irá aparecer uma calendário, com ele você pode ir navegando por entre os dias e traçar todos os seus trajetos.

Na parte inferior existe informações sobre a distância percorrida e ainda um gráfico evolutivo para as distâncias pontuadas no mapa.

Aprofundando ainda mais o rastreamento do smartphone com o Google Maps, devido ao fato dele gerar posicionamento e rotas percorridas praticamente em tempo real é ainda possível utilizar a ferramenta para casos de pessoas perdidas ou similares.

Leia mais:

String no formato JSon de jeito fácil

Veja uma forma muito simples de transformar uma instância de uma classe em uma string no formato JSon e otimize o seu desenvolvimento Java.

Em várias situações podemos precisar converter uma instancia de uma entidade ou de uma classe VO em uma string no formato JSon e muitas vezes o que vejo é o pessoal criando um método próprio para isso, mas nada disso é preciso, o próprio Jackson (que você já deve estar utilizando no seu projeto) já possui métodos para fazerem todo o trabalho pesado para você.

String no formato JSon de forma simples

String no formato JSon de forma simples

Veja um exemplo, suponha uma classe VO conforme o exemplo abaixo:

public class MinhaClasseVO implements Serializable{
 private static final long serialVersionUID = 1L;
 private String nome;
 private String email;
 
 public String getNome() {
  return nome;
 }
 
 public void setNome(String nome) {
  this.nome = nome;
 }
 
 public String getEmail() {
  return email;
 }
 
 public void setEmail(String email) {
  this.email = email;
 }
}

Para transformar uma instancia desta classe em uma string no formato JSon bastará fazer o seguinte:

MinhaClasseVO minhaInstancia = new MinhaClasseVO();
ObjectWriter write = new ObjectMapper().writer().withDefaultPrettyPrinter();
String meuJSon  = write.writeValueAsString(minhaInstancia);
System.out.println(meuJSon);

A saída deverá ser algo semelhante a isso:

{nome: “seu nome”, email : “seu@email.com”}

Viram como é simples transformar uma instancia de classe em uma string no formato JSon?

Leia mais:

Windows 9 chega em setembro

Versão preview do Windows 9 chega em setembro, mais precisamente em um evento no dia 30 e já começa a aguçar a curiosidade de muitos.

Segundo o The Verge o Windows 9 chega em setembro, mais precisamente em um evento que deverá ocorrer no dia 30.

Windows 9 chega em setembro

Windows 9 chega em setembro

Para os mais empolgados tudo indica que a Microsoft irá seguir a mesma estratégia adotada com sucesso no desenvolvimento do Windows 8, irá anunciar e consequentemente liberar uma versão preview, ainda em desenvolvimento para que entusiastas e desenvolvedores utilizem e para que o feedback destes usuários ajudem a equipe do Windows a finaliza-lo de forma mais próxima possível do gosto do usuário.

Por isso esta versão do Windows 9 não contará com todos os recursos aguardados para o seu lançamento oficial que deve acontecer somente em 2015.

Conforme o previsto esta versão do Windows 9 deverá trazer o novo Menu Iniciar e a barra Charms será de fato removida, outros recursos como, por exemplo, aplicativos Metro executando em janelas também deverão estar contidas nesta versão preview.

Esta versão do Windows 9 chega em setembro e além de colher o feedback dos usuários também terá a singela função de fornecer recursos para que os desenvolvedores de software e aplicativos comecem a entender o novo sistema operacional e já comecem a traçar estratégias para um futuro não muito distante.

Leia mais:

App padrão do sistema Android

Veja como redefinir o app padrão do sistema Android de forma muito fácil e troque aquele app que sempre dá erro para reproduzir seus vídeos.

Várias vezes instalamos app no Android e passamos a utiliza-los como app padrão para determinadas tarefas, um exemplo disso é a função de assistir vídeos, podemos instalar um app player de vídeo e marcar para que sempre que o Android vá abrir um vídeo que ele utilize aquele determinado app em detrimento do app padrão do sistema.

App padrão do sistema Android

App padrão do sistema Android

Para alterar isso sem precisar remover o app instalado é muito simples, basta ir para Configurações > Aplicativos> Clicar no app que você quer remover do padrão. Dentro dele procurar e clicar no botão Remover padrão.

Dessa forma o Android irá remover a configuração de padrões para aquele app e assim o app padrão do sistema poderá ser redefinido na próxima vez que você executar a tarefa, como no nosso exemplo, assistir o vídeo.

Isso é bem útil quando definimos o padrão de um aplicativo e ele é atualizado e começa e gerar muito bugs e mesmo não querendo remove-lo vamos deixar de utiliza-lo temporariamente.

Leia mais: