O início do fim da Nokia

[ad#texto]
Até o final de 2009, a Nokia era sem sombra de dúvidas referencia em desenvolvimento de celulares e smartphones.

A marca Nokia aliada à marca Symbiam eram sinônimos de qualidade de hardware e software. Mas o mundo da informática é rápido, muito rápido e cruel.

Hoje o Symbiam não quer dizer nada e o Meego da parceria da Intel com a Nokia não vingou (ainda), o CEO da Nokia (ex-CEO da Microsoft) anunciou esta semana um acordo de cooperação da Nokia com a Microsoft e seu Windows Phone 7.

Basicamente o acordo diz que a Nokia irá empregar esforços e recursos de hardware enquanto a Microsoft emprega esforços de customização ao gosto da Nokia no software Windows Phone 7, que promete ser o terceiro ecossistema no mundo dos smartphones (os outros ecossistemas são o iOS da Apple e o Android da Google).

Passando por cláusulas de transferência de tecnologia e conhecimento.

Eu já vi esse filme, no início dos anos 80 só que daquela vez a integradora de hardware era a IBM e o software era o recém-lançado MS-DOS da recém-criada Microsoft. Todos sabem que a IBM levou o chapéu, afinal no mercado de computadores pessoais a Microsoft se tornou a gigante e dominadora do segmento enquanto que hardware da IBM, hoje, não existe no segmento. A IBM tem a desculpa de que naquela época o hardware tinha o valor, o software não era nada e que a Microsoft arriscou muito e também não tinham CASES anteriores para verem o erro alheio.

Hoje vemos a Nokia cometer o mesmo erro, com o agravante que já conhece a história mal acabada da IBM com a Microsoft e que embarcam no mesmo quesito de “Eu tenho o hardware”.

Vamos analisar alguns dados:

  • A Microsoft é irrelevante no marcado de sistemas operacionais no mundo mobile, eles precisam de uma empresa tradicional no segmento para difundir seu novo ecossistema, no caso a empresa escolhida foi a Nokia;
  • Hardware qualquer empresa no segmento produz, temos a Motorola, Sony e muitas outras, isso sem contar as empresas piratas da China;
  • O software Windows Phone 7 somente a Microsoft produz e obviamente se ele fizer sucesso os smartphones da Nokia serão conhecidos por executar o Windows Phone e não pelo seu hardware.

Agora, com os três principais argumentos listados, adivinhem quem vai levar o chapéu nessa história toda?

Quem pensou na Nokia acertou de primeira.

Os acionistas que tentaram embargar e depois decidiram acabar com o movimento anti-acordo, agiram certo em tomar uma atitude prevendo o real contexto do acordo para a Microsoft e agiram errado da forma que programaram as suas ações.

Então preparem para verem a história se repetir, a Nokia não vai falir nem fechar (eu acho), mas vai se tornar irrelevante no seguimento e alguns anos e nem traço no Ibope irá mais pontuar.

Petter Rafael
Petter Rafael

Desenvolvedor Web atua com as tecnologias Java e PHP apoiadas pelos bancos de dados Oracle e MySQL. Além dos ambientes de desenvolvimento acima possuiu amplo conhecimento em servidores Apache/Tomcat, Photoshop, Arte & Foto, Flash e mais uma dezena de ferramentas e tecnologias emergentes. Atualmente colabora com o Viablog escrevendo sobre programação e tecnologia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 324 outros assinantes

Busca

julho 2020
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Categorias