Sistematização e o empobrocimento do processo


Muita gente já deve ter percebido que quanto mais maduro é um sistema, mais complexo ele é e em conseqüência disso mais ele engloba sobre o seu processo e menor é o grau necessário de conhecimento humano para operá-lo de forma correta.

Um exemplo clássico disso é o sistema do Imposto de Renda (IRPF), nessa versão de 2008 mais e mais cálculos, predisposições e assemelhados são automaticamente calculados pelo próprio sistema, creio que em poucos anos bastará informar o CNPJ da sua fonte pagadora e o próprio sistema se encarregará de fazer todo o resto do trabalho para você.

Isso é muito bom pelo lado da produtividade, sistemas já nesse estado de maturidade demandam de mão-de-obra humano menos especializada para operá-lo mas por outro lado perde-se um importante conhecimento sobre o processo para o qual aquele sistema foi projetado, desse modo empresas podem se complicar quando precisarem recodificar o sistema se a equipe original de desenvolvimento não estiver mais presente ou acessível, pois o usuário não mais conhecerá o processo e a equipe de desenvolvimento atual irá perder horas e mais horas fazendo engenharia reversa para enfim entender o processo e poder promover todas as alterações necessários ao sistema.

Assim quando for desenvolver um sistema, ainda mais em grau avançado de maturidade, é de suma importância adotar metodologias ágeis e confiáveis de documentação, pois essa ainda é a melhor forma de preservar seu processo e facilitar futuras alterações em seus sistemas.

Tags:
matrix
matrix

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 325 outros assinantes

Busca

julho 2020
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Categorias