Lenovo devolve CCE para seus antigos donos

A Lenovo comprou a CCE em 2012, mas muita coisa deu errado de lá pra cá e agora a Lenovo devolve CCE para seus antigos donos. O que será da marca no Brasil?

[ad#texto]

Lenovo devolve CCE para seus antigos donos
Lenovo devolve CCE para seus antigos donos

No ano de 2012 a chinesa Lenovo comprou a CCE da família Sverner por US$ 300 milhões com o objetivo de ser o maior fabricante de PCs do Brasil, posição então ocupada pela também brasileira Positivo, só que muita água passou por debaixo da ponte e a Lenovo/CCE não passou nem perto do seu objetivo e por isso a Lenovo devolve CCE para seus antigos donos.

Esta negociação para a devolução da CCE ocorreu em agosto mas só foi divulgada agora, a negociação incluí a marca CCE e suas fábricas, vale lembrar que logo após a compra a Lenovo investiu cerca de US$ 100 milhões em modernização e atualização nas linhas de montagem com o intuito de deixa-las mais competitivas frente as fabricas concorrentes.

No contrato original a Lenovo somente assumiria a propriedade total da CCE assim que pagasse a última parcela de compra, opção que a Lenovo deixou de pagar por opção e assim o controle da CCE acabou por voltar para a família Sverner.

Outro detalhe importante é que a CCE somente poderá lançar novos produtos a partir de março de 2016, a fim de resguardar possíveis segredos de produção da Lenovo que poderiam perdurar nas fábricas da agora solitária CCE.

Lenovo devolve CCE para seus antigos donos: o que aconteceu

Três anos atrás a Positivo era a líder de vendas de PCs no Brasil, então a Lenovo comprou a CCE a fim de obter conhecimento específico sobre o mercado brasileiro e deste modo conquistar o primeiro lugar de vendas.

Porém a Lenovo somente conseguiu o primeiro lugar no período de janeiro e junho de 2014 e logo em seguida perdeu novamente para a Positivo e por último ações comerciais da Dell garantiram o primeiro lugar para esta última nos últimos meses.

Além da luta comercial a operação da Lenovo subiu consideravelmente o que resultou em um aceleramento das linhas de produção que por fim geraram um maior índice de defeitos e a insatisfação foi geral, tanto que no ano de 2014 a Lenovo/CCE alcançou o terceiro lugar no ranking de empresas mais reclamadas do Procon, e este ponto é crítico já que ela foi a única empresa de bens de consumo que figurou entre as dez mais reclamadas.

Como nada é tão ruim que não possa piorar a venda de PCs está em queda livre no mundo e o Brasil obviamente está acompanhando este movimento, ou seja, o mercado potencial diminuiu.

Toda esta soma de fatores fez a Lenovo desistir do negócio, mas não desistir do Brasil.

Lenovo devolve CCE para seus antigos donos: e agora?

A marca CCE somente poderá lançar novos produtos a partir de março de 2016, para evitar que segredos e possíveis lançamentos da Lenovo fossem aproveitados de forma maliciosa pela atual CCE.

Porém a Lenovo não vai abandonar o Brasil, ela vai continuar operando no Brasil, porém sem o foco de ser a referência no segmento e provavelmente vai diversificar para o segmento mobile a fim de aumentar seu marketing share regional.

Petter Rafael
Petter Rafael

Desenvolvedor Web atua com as tecnologias Java e PHP apoiadas pelos bancos de dados Oracle e MySQL. Além dos ambientes de desenvolvimento acima possuiu amplo conhecimento em servidores Apache/Tomcat, Photoshop, Arte & Foto, Flash e mais uma dezena de ferramentas e tecnologias emergentes. Atualmente colabora com o Viablog escrevendo sobre programação e tecnologia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 322 outros assinantes

Busca

setembro 2020
DSTQQSS
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930 

Categorias