Google e Microsoft se unem contra malwares

Chega de vírus. Google e Microsoft se unem contra malwares evitando que falso positivos apareçam e comprometam toda a segurança do sistema.

[ad#texto]

Semanas atrás presenciamos a Microsoft se sentindo incomodada quando o Google passou a relatar diversos bugs com mais de 90 dias sem solução, até mesmo emitiu uma nota pública contra isso e agora somos surpreendidos com a notícia que o Google e Microsoft se unem contra malwares.

Google e Microsoft se unem contra malwares
Google e Microsoft se unem contra malwares

O fato é que tão problemático quanto ter um sistema infectado por qualquer tipo de malware é ter arquivos legítimos do sistema sendo identificados como ameaças, isto é o que chamamos de falso positivo.

Um falso positivo pode ser tão prejudicial pois um arquivo do sistema Windows, por exemplo, sendo identificado como um vírus pode causar travamentos, erros diversos ou mesmo impossibilitar que o sistema seja inicializado novamente. Realmente é um caos.

Google e Microsoft se unem contra malwares: como é a parceria

Mesmo depois de todo o atrito recente a Microsoft aceitou a proposta de fazer parte da iniciativa pois o projeto será comandado pela VirusTotal, que mesmo sendo do Google tem “vontade própria” e também porque o benefício para o Windows e outros softwares da Microsoft é enorme, já que ela sofre constantemente com casos de falso positivo.

Para quantificar o tamanho do sucesso, em apenas uma semana de testes foi possível evitar cerca de 6 mil falso positivos nos softwares da Microsoft, sem dúvida um número bastante expressivo.

Google e Microsoft se unem contra malwares: como funciona o projeto

O projeto chamado Trusted Source é na realidade uma “lista branca” onde as empresas participantes enviam uma lista com seus arquivos para que eles sejam considerados seguros pelas soluções antivírus.

Assim, caso algum destes arquivos seja considerado malicioso imediatamente a empresa é avisada para que tome providencias o mais rápido possível evitando reclamações (ou até mesmo danos) de seus clientes.

Desta forma com o passar do tempo o “aprendizado” sobre a lista branca será maior e o volume de alarmes enviados decorrentes de falso positivos tende a diminuir muito.

Google e Microsoft se unem contra malwares: o futuro

Levando em conta todos os benefícios várias outras desenvolvedoras de software irão querer fazer parte desta iniciativa e também várias outras empresas desenvolvedoras de soluções de segurança também irão adotar a “lista branca” a fim de refinar seus resultados de busca, não ficando restrito somente a VirusTotal.

Só é preciso adotar cautela neste processo, pois caso uma empresa relate que um arquivo é seguro e o mesmo está contaminado desde o seu código-fonte seria uma falha grave de segurança e comprometeria todo o projeto.

Petter Rafael
Petter Rafael

Desenvolvedor Web atua com as tecnologias Java e PHP apoiadas pelos bancos de dados Oracle e MySQL. Além dos ambientes de desenvolvimento acima possuiu amplo conhecimento em servidores Apache/Tomcat, Photoshop, Arte & Foto, Flash e mais uma dezena de ferramentas e tecnologias emergentes. Atualmente colabora com o Viablog escrevendo sobre programação e tecnologia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 322 outros assinantes

Busca

setembro 2020
DSTQQSS
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930 

Categorias