Google Chrome ainda consome muita memória e CPU

O Google anunciou muitas melhorias na atualização #45, mas o fato é que o Google Chrome ainda consome muita memória e CPU, veja os motivos.

[ad#texto]

Google Chrome ainda consome muita memória e CPU
Google Chrome ainda consome muita memória e CPU

Todos sabem dos diversos problemas do Google Chrome em relação ao elevado consumo de memória RAM e CPU, que é tão severo que até diminui a vida útil da carga da bateria de notebooks, porém a atualização #45 trouxe a notícia de que estes problemas estariam minizados, porém na prática o que vimos é que o Google Chrome ainda consome muita memória e CPU.

Atualizei o meu Chrome e nos testes o que notei foi até uma certa piora em determinados casos, assim a realidade está muito longe do que o Google anda anunciando na mídia.

Certos problemas foram expandidos, algo bem estranho já que mesmo sem ativar nenhuma extensão (uma provável origem de problemas) o comportamento do navegador é o mais rebelde possível, praticamente tomando conta de todo o processamento (nos testes um Intel i7) e com o consumo de memória nas alturas.

Google Chrome ainda consome muita memória e CPU: as atualizações

O Google anunciou que na versão #45 do Chrome teria o consumo de memória reduzido através de maior inteligencia no gerenciamento pelo novo recurso de detecção de abas mais utilizadas, que agora irão gerar uma espécia de cache para agilizar o seu processamento.

Ainda falando de inteligencia, o Chrome passa a identificar quais sites (abas) são mais importantes, dando prioridade para eles.

Existe também um mecanismo que realoca a memória previamente alocada para uma aba de “pouco uso” para uma aba “mais importante” que está precisando de mais memória.

Uma boa notícia é que a partir de agora o Flash não é mais reproduzi automaticamente, será necessário uma intervenção (clique do mouse) por parte do usuário para que o Flash seja ativado e a animação enfim exibida.

Google Chrome ainda consome muita memória e CPU: a realidade

A questão do Flash realmente foi muito bem vinda, afinal este é um recurso que já deveria ter sido completamente descontinuado em detrimento do HTML5, porém antigos players de interface ainda insistem em utiliza-lo.

A questão da memória, estas alterações que o Google promoveu não resolveram o problema, o consumo de memória continua o mesmo, não foi alterado em nada.

O problema maior é sem dúvida quanto ao consumo de CPU (processamento), a versão 45 do Chrome piorou muito, o consumo de CPU em sites que utilizam muito JavaScript simplesmente dispara alcançando 100% por longos muitos, deixando o uso do computador comprometido.

Para os corajosos atualizem o Chrome e façam seus próprios testes, pois o perfil de uso de cada usuário irá interferir muito no comportamento do browser.

matrix
matrix

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 322 outros assinantes

Busca

outubro 2020
DSTQQSS
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Categorias