Como escolher o SSD: entenda as diferenças antes de comprar

Escolher um SSD nem sempre é simples, por isso vamos mostrar como escolher o SSD ideal para o seu bolso com o melhor custo-benefício.

Como escolher o SSD: entenda as diferenças antes de comprar
Como escolher o SSD: entenda as diferenças antes de comprar

É bem complicado escolher um SSD, afinal é uma sopa de letrinhas, mas vamos mostrar como escolher o SSD que irá te atender melhor.

Sempre considerando a questão do custo-benefício, equilibrando custo e como ele irá atender a sua expectativa.

Lembrando que a performance de um notebook ou desktop vai além do SSD e depende também de outros fatores.

Como escolher o SSD: escolhendo o melhor modelo

Para escolher um SSD o primeiro ponto é observar suas velocidades de escrita e leitura, pois é com base nelas que podemos identificar um SSD mais rápido de um mais lento.

E nem sempre o SSD mais caro será o mais rápido e vice-versa.

Outro detalhe importante é observar a sua durabilidade, afinal todos os SSD tem uma vida útil estimada e esta durabilidade pode variar de modelo para modelo.

Assim, se você busca um SSD para durar mais, este é um ponto de atenção.

Protocolo de comunicação

Este é um ponto chave, afinal de nada adianta um SSD com altas velocidades de escrita/leitura se o seu protocolo de comunicação com a motherboard for lento.

Basicamente teremos que lidar com duas interfaces: SATA e NVMe.

Mas qual a diferença entre eles? Será que vale a pena pagar mais por um protocolo em relação ao outro?

SATA

Este protocolo surgiu bem no início dos anos 90 para substituir o protocolo PATA antes do surgimento do SSD, quando ainda usávamos HD’s.

Ele corresponde a Serial Advanced Technology Attachment ou anexo de tecnologia avançada serial.

A conexão entre o SSD e a motherboard no SATA é realizado através de um cabo, geralmente da cor vermelha ou laranja.

Existem 3 versões do SATA, que na verdade são evoluções do protocolo:

  1. SATA: é a primeira versão com velocidade de 150 MB/s.
  2. SATA II: foi a segunda versão, a velocidade poderia chegar a 300 MB/s.
  3. SATA III: terceira e última versão do protocolo, com velocidade máxima chegando a 600 MB/s.

No lançamento dos primeiros SSD, que eram muito mais lentos, o protocolo SATA III atendia normalmente a velocidade requerida, porém agora a realidade é diferente.

Além da velocidade do barramento existem outros detalhes a serem conhecidos:

  • Filas de comando: refere-se a quantos comandos podem ser disparados ao mesmo tempo, no SATA o limite é de 32 comandos por fila.
  • Operações por segundo: refere-se a quantas operações de entrada ou saída podem ser feitas por segundo (IOPS, sigla para Input/Output Operations Per Second), no SATA o limite é de 100 mil.
NVMe

Neste protocolo é utilizado o barramento PCIe, ou seja, o SSD fica conectado diretamente na motherboard como uma memória RAM.

Por isso o formato deste modelo de SSD lembra um pente de memória.

Deste modo, sem a necessidade de uma camada intermediária, como ocorre com o SATA, o NVMe se conecta diretamente com a CPU.

Existem 3 versões do PCIe que é utilizado pelo NVMe:

  1. PCIe gen2: onde a velocidade máxima chega a 500 MB/s por pista.
  2. PCIe gen3: onde a velocidade máxima chega a 1.000 MB/s por pista.
  3. PCIe gen4: onde a velocidade máxima chega a 2.000 MB/s por pista.

Como podemos notar a velocidade do barramento é muito superior ao encontrado no padrão SATA.

Pela lógica também encontramos vantagens quando falamos de filas de comando e operações por segundo:

  • Filas de comando: refere-se a quantos comandos podem ser disparados ao mesmo tempo, no BNVe o limite é de 64 mil comandos por fila.
  • Operações por segundo: refere-se a quantas operações de entrada ou saída podem ser feitas por segundo (IOPS, sigla para Input/Output Operations Per Second), no NVMe o limite é de 1 milhão.

Além da velocidade um SSD NVMe é muito menor e mais compacto se comparado com um do padrão SATA.

O SATA só ganha mesmo em compatibilidade, por usar um padrão bem mais antigo, até mesmo notebooks e desktops mais velhos podem utilizar um SSD SATA.

Quanto ao preço, um SSD NVMe pode ser até 30% mais caro que um SATA, porém o ganho de performance é muito elevado.

Levando em conta que a vida útil de um SSD ultrapassa 10 anos é um custo que pode ser diluído com o passar dos anos.

matrix
matrix

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 317 outros assinantes

Busca

janeiro 2022
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Categorias