ABAP um vovô na era da internet firme e forte

O que dizer do ABAP um vovô na era da internet que segue firme e forte, sem medo de modismos e se adaptando neste mutável e volátil ambiente que é o desenvolvimento Web.

ABAP um vovô na era da internet firme e forte
ABAP um vovô na era da internet firme e forte

Devido ao seu escopo de atuação ser estritamente dentro do SAP, o ABAP não é tão popular como o Java ou PHP nem tão na moda como Phyton ou Ruby, porém este vovô da programação vem prestando um valoroso serviço na customização de módulos do SAP ou até em casos extremos a construção de módulos completos de forma personalizada para sistemas SAP, conheça o ABAP um vovô na era da internet que vai firme e forte e sempre em frente.

Se você é formado depois do ano 2000 e julga que a única linguagem de programação antiga é o pré-histórico Cobol, fique sabendo que existe muita vida inteligente fora dos modismos das linguagens de programação da atualidade.

ABAP um vovô na era da internet: a história

O ABAP nasceu nos anos 80 e originalmente foi concebido para ser um facilitador na geração de relatórios do SAP R/2, com linguagem semelhante ao Cobol ele logo mostrou que veio para ficar e que sua utilidade poderia (e deveria) ser expandida para muito além de simplesmente gerar relatórios.

Assim, com o tempo esta linguagem de programação de quarta geração foi adquirindo a forma que conhecemos atualmente onde é amplamente utilizado no processo de implementação SAP, pois em qualquer projeto destes é praticamente inviável que nenhum grau de customização seja efetuado.

Um detalhe muito interessante é que a partir de 1999 com o SAP R/3 4.5 o ABAP foi dotado de orientação a objetos, o que dinamizou ainda mais a linguagem, solidificando sua existência no mundo SAP.

ABAP um vovô na era da internet: quem vai matar o ABAP?

Mas nem tudo são flores com o advento da internet a partir dos anos 2000 a sobrevivência do ABAP foi posta em cheque, pois além de não ser voltado para o recém criado mundo Web a SAP resolveu se associar a extinta Sun Microsystens, que era a detentora do Java, e assim nascia o Web Dynpro Java que era fortemente indicado como caminho a ser seguido a partir daí.

Porém quando a Sun foi subitamente comprada pela Oracle, que era rival ferrenha da SAP no segmento de ERPs, a iniciativa foi descontinuada e o ABAP tomou novo fôlego.

Mas a bola da vez é o framework SAP UI5, totalmente baseado em tecnologias Web (HTML5, CSS, JavaScript, etc) seguindo o modelo MVC, porém todo desenvolvedor Web sabe que tais tecnologias dão show no frontend mas ainda dependem de linguagens robustas no servidor para persistência de dados, regras, segurança, etc, formando assim o que conhecemos como backend e é no backend que o ABAP continuará vivo pela sua estabilidade e competência nestes quesitos.

Desta forma o ABAP não vai morrer, mas apenas mudar de forma e passar a interagir com novas tecnologias, pois assim é o mundo Web, não existe um único ator nem uma única verdade, mas um conjunto.

Desta forma é bem provável que ele vire mais uma década em plano vigor e que ainda vamos ver o ABAP um vovô na era da internet por vários anos.

Petter Rafael
Petter Rafael

Desenvolvedor Web atua com as tecnologias Java e PHP apoiadas pelos bancos de dados Oracle e MySQL. Além dos ambientes de desenvolvimento acima possuiu amplo conhecimento em servidores Apache/Tomcat, Photoshop, Arte & Foto, Flash e mais uma dezena de ferramentas e tecnologias emergentes. Atualmente colabora com o Viablog escrevendo sobre programação e tecnologia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 322 outros assinantes

Busca

setembro 2020
DSTQQSS
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930 

Categorias